Blog

O que vem por aí

Por Klas Viagens | 16/01/2020 às 00:00:00

Principais destinos para conhecer na Itália.

Principais destinos para conhecer na Itália.
O quinto país mais visitado em todo o mundo possui diversas opções de atividades, desde relaxar em um encantador vilarejo, esquiar na neve dos Alpes, tomar sol em uma casa tradicional em uma região litorânea, ou conhecer de perto as incríveis cidades.

 

Ao viajar para a Itália, vá com uma certeza: atrações e atividades nunca faltarão no roteiro. Veja algumas:

 

Roma

Roma é a capital e a maior cidade do país, se localiza no centro-ocidental da Itália e é cortada pelo rio Tibre. É a quarta cidade mais populosa da União Europeia com quase 3 milhões de habitantes e 1.285m². 

Também é conhecida como a Cidade Eterna, porque o tempo parece ter parado há anos. Os monumentos e as ruínas fazem com que os passeios pelas ruas se tornem uma viagem no tempo. 

Roma é a cidade com os principais pontos turísticos da Itália, além disso, é o melhor lugar para saborear a gastronomia regional. As principais atrações turísticas são: Coliseu, Fórum Romano, Monte Palatino, Fontana di Trevi, Panteão, Piazza Navona, Piazza di Spagna e Mercado Central de Roma.

 

Coliseu

O Coliseu é um dos pontos mais históricos de Roma, é o símbolo da Itália e do Império Romano. O local é o maior anfiteatro já construído, está localizado no centro da capital italiana. 

Foi construído de concreto e areia. É considerado um Patrimônio Histórico Mundial, pois revela as habilidades e técnicas dos arquitetos, engenheiros e construtores da Roma Antiga, sendo o maior exemplo da arquitetura romana. 

A intenção da construção era que virasse um entretenimento para o povo. Era um local para espetáculos e luta dos gladiadores. O local foi utilizado desta forma por 5 séculos, interrompido por um terremoto que atingiu Roma e afetou a estrutura do local.

Coliseu em Roma, Itália.

 

Fórum Romano

O Fórum Romano são ruínas que, durante séculos, foi o centro da vida pública de Roma, era o local onde se realizavam desde cerimônias até eleições. Dentro do Fórum há diversos pontos turísticos, como alguns Templos, a Via Sacra, Arco de Tito, Arco de Severo Sétimo, Basílica de Magêncio e Constantino, a Cúria e a Coluna de Focas.

 

Monte Palatino

O Monte Palatino é uma das sete colinas de Roma e uma das partes mais antigas da cidade. São 40 metros acima do Fórum Romano que proporcionam uma vista para todos os lados. 

Dentro do Monte Palatino, há 10 pontos turísticos, os principais são o Domus Flavia, Casa da Lívia, Casa de Augusto, Jardins Farnese, Hipódromo de Domiciano e o Museu Palatino.

 

Fontana di Trevi

A fonte foi construída no século XVIII e é a maior fonte na Itália, com cerca de 26 metro de altura e 20 metros de largura. O local é um dos pontos mais visitados em Roma e fica próximo da fachada do Palazzo Poli. 

No local ficavam o aqueduto Aqua Virgo, que trazia água para a cidade de uma nascente que fica a 26km de distância. O aqueduto alimentava três fontes ao longo da chamada Via del Corso. Desde 2007, a fonte começou a ser alimentada por água do sistema de abastecimento da cidade.

Como diz a lenda, o turista que virar de costas para a fonte e jogar uma moeda com a mão direita na Fontana di Trevi retornará a Roma. A prática se tornou popular através do filme "Three Coins" in the Fountain, de 1954.

Fontana di Trevi em Roma na Itália.

 

Panteão

O edifício é o monumento mais conservado da arquitetura antiga do país, além de ser considerado um símbolo para a Itália. Foi reconstruído por Adriano, em 126 d.C. E no início do século Vii foi doado ao Papa Bonifácio IV e se transformou em uma igreja.

A arquitetura é surpreendente com as medidas circulares com o mesmo diâmetro que a altura, de 43,30 metros. A cúpula, é maior que a da Basílica de São Pedro, no Vaticano, abrindo um óculo de 8,92 metros de diâmetro permitindo que a luz natural ilumine todo o prédio.

Na fachada há uma enorme cúpula que se completa com 16 colunas de granito com 14 metros de altura.

 

Piazza Navona

A Piazza Navona é uma praça com arquitetura barroca, foi construída onde situava o estádio de Domiciano, no ano 86. Nela estão localizadas três fontes, sendo elas a Fontana dei Quattro Fiumi, Fontana del Moro e Fontana del Nettuno.

A praça é repleta de restaurantes ao seu entorno. Além disso, é uma região bastante animada, possível de assistir algumas atrações de ruas, como mágicos e dançarinos.

 

Piazza di Spagna

Conhecida pelas famosas escadas até a Igreja Trinità dei Monti, é uma das praças mais conhecidas de Roma. No centro, há a Fontana della Barcaccia. A monumental escadaria tem 135 degraus e foi construída para conectar a embaixada da Espanha com à igreja no alto do morro.

 

Mercado Central de Roma

Na Itália a palavra “mercato” significa feira de rua e “supermercado” é o mercado tradicional. Mas em Roma, há um local que uniu os dois, o Mercado Central de Roma, que se tornou uma experiência gastronômica, cultural e cheio de tradições locais.

São 21 opções de lojas com a culinária italiana, romana e até internacionais. Além da gastronomia, o local reserva produtos feitos por artesãos.

 

Vaticano

O Vaticano é um país que fica dentro da cidade de Roma. É considerado uma cidade-estado com aproximadamente 44 hectares e com uma população de cerca de mil habitantes, sendo o menor país do mundo.

A cidade do Vaticano existe desde 1929, é a sede da Igreja Católica Romana e a residência do Papa. O local abriga muita arte, arquitetura e esculturas romanas.

O país, por ser pequeno e dentro de Roma, pode ser visitado por quem passa pela Itália. Nele há alguns dos principais pontos turísticos do catolicismo, como a Capela Sistina com o famoso teto de Michelangelo, a Basílica de São Pedro, Praça São Pedro e Castelo Sant’Angelo.

Vaticano, Itália.

 

Veneza

Veneza é a cidade mais romântica da Itália, foi fundada em 421, é uma cidade no nordeste do país, em Vêneto, situada sobre 119 pequenas ilhas que são separadas por 177 canais e ligadas por 400 pontes. Está localizada na Lagoa de Veneza, no Mar Adriático. A cidade é famosa pelas belezas na arquitetura e obras de arte. 

Os barcos são o meio de transporte na região. O centro histórico fica em terra firme em meio aos canais e o mar aberto, é uma das poucas formas de renda de muitos habitantes, pelas atividades da Bienal de Arte e de Arquitetura e do Festival de Cinema.

Veneza, Itália.

A cidade abriga vários museus, galerias de arte, monumentos e prédios com arquitetura histórica. As opções de atividades são: os museus Accademia, Ca’Rezzonico, Peggy Guggenheim e Punta della Dogana, além disso, há a Piazza San Marco, o Palazzo Ducale, Ponte de Rialto, Ponte do Suspiro e, claro, um passeio de gôndola.

 

Museus e Galerias

A Galeteria da Academia, também conhecido como Accademia, é um museu e galeria de arte especializado em arte pré XIX. Foi fundada para ser uma escola de pintura, escultura e arquitetura, sendo a primeira instituição a estudar a restauração de obras, em 1777. 

Ca’Rezzonico é um dos palácios mais conhecidos da cidade e um dos poucos que podem ser visitados. A fachada principal fica voltada ao Grande Canal. Atualmente o local abriga o Museu do Settecento Venezian, um museu público dedicado ao século XVIII. 

A Coleção Peggy Guggenheim é um museu também no Grande Canal que foi inaugurado em 1951, no Palazzo Venier dei Leoni. O local reserva a coleção pessoal de arte de Peggy Guggenheim, ex-esposa do artista Max Ernst. 

Punta della Dogana foi a alfândega de Veneza. Desde 2007 virou um museu que abriga a coleção de arte de François Pinault, no edifício Dogana da Mar, o nome se refere ao local em forma triangular da cidade que o Grande Canal se encontra com o Canal Giudecca.

 

Piazza San Marco

A Piazza San Marco é a única praça de Veneza, além de ser um dos principais pontos turísticos, é o local mais baixo de Veneza. Fica em frente à Basílica de São Marcos, o Palácio Ducal, o Museu Correr, o Campanile e a Torre dell’Orologio.

 

Basílica de São Marcos

É a igreja mais famosa de Veneza, com arquitetura bizantina fica localizada na Piazza San Marco. A basílica é sede da arquidiocese católica romana desde 1807. O edifício da igreja foi inspirado na Basílica de Santa Sofia e na Basílica dos Apóstolos, com uma planta de cruz grega.

 

Palazzo Ducale

O Palácio Ducal está localizado na Piazza San Marco. No século IX, o local começou como um castelo fortificado, depois de um incêndio, precisou ser reconstruído e foi utilizado como fortaleza e prisão. 

O prédio combina elementos da arquitetura bizantina, gótica e renascentista. No interior reserva o apartamento do Duque, a Scala d’Oro e a Sala do Maggior Consiglio.

 

Ponte do Suspiro

Durante a visita pelo Palazzo Ducale é possível atravessar pela Ponte dos Suspiros que dá acesso ao Prigioni Nouve, o calabouço do palácio. O local era por onde os condenados à morte passavam e das janelas era possível ver pela última vez a Laguna Veneta. 

Além disso, é possível passar pelo canal por baixo da ponte e ter a visão de outro ângulo do local. Dali, pode-se observar as janelas do calabouço e toda a arquitetura do local.

 

Ponte de Rialto 

É a ponte em arco mais antiga e mais conhecida de Veneza. Foi durante muito tempo a única ligação entre os dois lados do Grande Canal, hoje à outras travessias. A primeira ponte feita no local era flutuante, mas com o aumento do tráfego pelo espaço foi necessário adaptações.

 

Toscana

Toscana é uma região da Itália, assim como os estados brasileiros, e tem como capital a cidade de Florença. O local administra as cidades de Arezzo, Florença, Grosseto, Livorno, Luca, Massa-Carrara, Pisa, Pistoia, Prato e Siena, além de algumas ilhas no Arquipélago Toscano. 

De todas as regiões da Itália, Toscana é a com maior número de habitantes. Além disso, é o local mais procurado para os que buscam conhecer as vinícolas. As cidades tem arquitetura medieval, belos campos de girassol e vinhedos.

 

Florença

Florença, além de ser a capital, é a maior cidade da Toscana. O destino reserva diversos pontos encantadores, afinal é o berço do renascimento italiano, e um dos melhores sorvetes do mundo. Foi durante muito tempo considerada a capital da moda.

Lá, é possível ver a estátua de David, esculturada por Michelangelo, além de outras diversas obras de arte. A cidade é repleta de museus, igrejas, monumentos, praças e edifícios históricos.

Entre os principais pontos turísticos estão: Basílica di Santa Maria Del Fiore, Galleria degli Uffizi, Ponte Vecchio, Palazzo Vecchio, Palazzo Pitti, Piazza della Signoria, Piazza del Duomo e Piazzale Michelangelo.

Ponte Vecchio em Florença, Itália.

 

Pisa

Pisa é uma das cidades mais famosas da Itália. Isso porque, o local reserva a Torre de Pisa, conhecida pela sua inclinação natural, além disso, a cidade mantém a identidade medieval nos monumentos e edifícios.

É possível conhecer a cidade em apenas um dia, as principais atividades são: a Torre de Pisa, Catedral de Pisa, Camposanto Monumentale e o Batistério de Pisa, na Piazza dei Miracoli, além da Piazza dei Cavalieri, Santa Maria della Spina e o Museo Nazionale di San Matteo.

Torre de Pisa, Itália.

 

Puglia

Assim como Toscana, Puglia, em português: Apúlia, é uma região na Itália. Localizada no sul do país, tem como capital a cidade de Bari. É a parte do salto da bota na imagem do mapa e a região mais oriental do país. A região é banhada pelo Mar Jônico, estreito de Otranto, Golfo de Tarento e o Mar Adriático.

Nos roteiros que passam pelas principais cidades é possível ver vilarejos milenares com muito mármore, ruínas greco-romanas, igrejas revestidas com mosaicos, cidades repletas de prédios brancos em colinas e outras na cor de esmeralda.

Além disso, há uma grande variedade de praias bonitas na região, algumas com areia fina e água azul turquesa, enseadas de pedras e até dunas. As principais cidades de Puglia são: a capital Bari, Polignano a Mare, Ostuni, Alberobello, Otranto, Monopoli, Lecce, Gallipoli, Brindisi e Taranto.

 

Bari

Bari é a capital da região Puglia. São cerca de 320 mil habitantes da cidade. O local é bastante importante para a região, conhecida como cidade grande portuária. Bari é o ponto de partida para explorar pequenas cidades que ficam em seu entorno, como Alberobello, Ostuni e Lecce.

Os principais pontos turísticos na cidade são a Piazza Aldo Moro, Bari Vecchia, Palazzo Mincuzzi, Corso Vittorio Emanuele II que fica próximo ao Teatro Margherita, além do Teatro Piccinni, o mais antigo da cidade e o Teatro Petruzzelli, símbolo cultural em Bari. A Via Sparano é a rua das compras, além disso, vale passear pelo bairro Murat e conhecer a cidade nova, projetada no estilo francês.

 

Polignano a Mare

A cidade de Polignano a Mare é uma das que mais recebem turistas na região de Puglia. A economia é baseada em turismo, agricultura e pesca. O local é uma mistura de mar com azul intenso e mais de 40 frutas, além de um centro histórico em uma cidade pequena cheia de encantos.

Uma das praias mais famosas da Itália pertence à cidade, a Lama Monachile está localizada praticamente no centro da cidade, escondida entre dois penhascos próximos de belas casas brancas.

Outro ponto importante na cidade é a Estátua de Domenico Modugno, fica próxima à praia Lama Monachile e é a estátua do filho de Polignano.

O centro histórico da cidade é deslumbrante, são poucos os monumentos, mas bastante charmosos. O local tem várias ruelas e praças muito calmas. Ao andar pelas ruas é possível conhecer o Arco Marchesale, o Palazzo del Governatore, a Piazza Vittorio Emanuele II e o Palazzo dell’Orologio.

 

Ostuni

Ostuni, também chamada de cidade branca, tem a maioria das construções pintadas de branco que contrastam com as rochas escuras e o azul do mar. O costume de pintar as ruas e casas de branco é algo antigo e tem relação com a higiene.

Em 1800, Ostuni estava devastada por uma seca que causou epidemias e fome, então, os governadores pensaram em jogar cal branco para acabar com as doenças e pragas, acreditando que iria desinfectar.

Ao visitar Ostuni, passear a pé pelas estreitas ruas é essencial. A Via Cattedrale é a rua principal no centro histórico. No centro da Piazza della Libertà fica o Obelisco de Sant’Oronzo, construído em 1771, com um a estátua de Santo Oronzo no topo. 

Ao lado do obelisco está a Igreja do Espírito Santo e próxima dali, está o Palazzo Municipale. Outro ponto turístico é a Piazza della Catedral, localizado no centro da parte antiga da cidade. Na mesma praça está o Palazzo Vescovile que foi construído em 1560, destruído por um terremoto em 1743 e reconstruído no mesmo ano.

 

Alberobello

Alberobello é uma cidade encantadora, a mais turística do sul da Itália. As casas também são na cor branca, mas com o teto em forma de cone. As construções são bastante charmosas, além da arquitetura há a estética, com plantas trepadeiras e flores colorindo as ruas.

Alberobello reserva muitos pontos interessantes, para conhecer as belas casas, o Rione Aia Piccola é uma boa opção. As atrações na cidade são a Casa Pezzolla que o maior conjunto de trulli – que são as cúpulas, tetos em forma cilíndrica – que se conectam em Alberobello.

A Casa D’Amore foi a primeira construção que usou cal. O local foi construído em 1797, desde então o Rei de Nápoles tirou a obrigação dos moradores de construírem casas de pedras e sem revestimento.

Alberobello na região da Puglia, Itália.

  

Milão

Milão é a capital da região de Lombardia. A cidade tem mais de um milhão de habitantes, sendo a segunda cidade mais populosa da Itália e a quinta maior área urbana da União Europeia.

A cidade é conhecida mundialmente pelo design, com grandes influências no comércio, indústria, música, vestimentas, literatura, arte e mídia. Além disso, o local é famoso pelas casas encantadoras e lojas de moda.

Entre os principais pontos de interesse, estão: Catedral de Milão, Galeria Vittorio Emanuele II, Castello Sforzesco, Teatro alla Scala, Igreja Santa Maria delle Grazie, Parque Sempione, Pinacoteca de Brera e Piazza del Duomo.

 

Catedral de Milão

A Catedral de Milão é uma igreja católica romana, está localizada na praça central de Milão, a Piazza del Duomo. Foi construída em 1386, tem 157 metros de comprimento e 109 de largura. São cinco corredores com altura de até 45 metros, em 40 pilares, sendo assim considerada a terceira maior igreja do mundo.

Catedral de Milão, Itália.

 

Galeria Vittorio Emanuele II

É um famoso ponto de Milão. A galeria une a Piazza del Duomo com a Piazza Scala, um cruzamento de duas ruas que formam um octógono na região central, coberto com uma cúpula de ferro, fazendo com que a rua vire uma galeria fechada.

A galeria foi construída em apenas dois anos, sendo inaugurada em 1877. O local é cheio de lojas e restaurantes para passear, com o teto bem alto com placas de vidro.

Galeria Vittorio Emanuele II

 

Castelo Sforzesco

O local é um dos monumentos mais importantes de Milão. O prédio foi construído no século XV, desde então foi demolido, reconstruído, restaurando, funcionou como casa, fortaleza e hoje se tornou um monumento histórico.

No castelo há os museus cívicos, um reservatório com museu da pré-história; museu egípcio, museu de arte antiga, museu do móvel, coleções de arte aplicada, museu dos instrumentos musicais, biblioteca de arte do Castelo Sforzesco e inúmeras obras de arte.

 

Igreja Santa Maria delle Grazie

Nesta igreja é onde está a obra “Última Ceia”, feita por Leonardo da Vinci, e considerado um Patrimônio Mundial da UNESCO. A pintura foi produzida na parede do refeitório do convento que ficava anexa a igreja. O prédio com o convento foi construído em 1469 e o da igreja foi em 1490.

 

0 Comentários

Deixe seu comentário

Galeria Fotos

    Ligamos pra você

    Nós ligamos pra você

    Enviar