Blog

Destinos Internacionais

Por Klas Viagens | 02/12/2019 às 09:00:00

O que saber antes de viajar para Israel.

O que saber antes de viajar para Israel.
Visitar Israel é uma experiência de viagem única. O destino é conhecido por conta dos roteiros religiosos, mas o país tem muito a oferecer aos seus visitantes. Nesse texto você vai conferir tudo o que precisa saber antes de viajar para Israel.

 

Israel é um país de democracia parlamentar, está localizado no continente asiático, no Oriente Médio e é banhado pelo Mar Mediterrâneo. A capital e maior cidade é Jerusalém, que tem aproximadamente 8 milhões de habitantes.

Pela pequena extensão territorial, é possível percorrer Israel de ponta a ponta em apenas cinco horas. O que facilita conhecer diversas cidades em poucos dias.

Também conhecido como Terra Santa, o país se tornou um local que recebe muitos turistas em busca de roteiros religiosos. Além disso, o destino surpreende quem procura experiências culturais, históricas e gastronômicas. Não se restrinja apenas a roteiros da Via Sacra, o país tem muito a oferecer.

As opções de entretenimentos envolvem incríveis paisagens, museus, praias, sítios arqueológicos e claro, os roteiros religiosos que são bastante significativos para os judeus, cristãos e muçulmanos.

Viajar para Israel sem dúvida é uma experiência única, o local reserva muitas histórias. Para os turistas que desejam um roteiro religioso, o principal destino é Jerusalém, a cidade também conta com um lado moderno e pouco conhecido. Já a cidade de Tel Aviv se destaca por ser o centro financeiro do país, sendo um papel importante para o cosmopolitismo, além disso é bastante badalada.

 

Como chegar

Não há voo direto do Brasil para Israel. Para chegar ao destino, normalmente são feitas conexões na Europa ou nos Estados Unidos, destinos que concentram maior número de voos para Israel. 

A principal porta de entrada para o país é através do Aeroporto Internacional de Ben Gurion, localizado em Lida, há 20 km de Tel Aviv. Outras opções de escala são em Istambul, Paris, Barcelona, Roma, Madrid, Munique, Zurique, Toronto e diversas cidades dos Estados Unidos.

Os brasileiros não precisam de visto para entrar em Israel, mas é importante verificar se no país que fizer conexão é necessário. Além disso, o passaporte deve ter validade mínima de seis meses a partir da data de entrada no país.

Apesar de não ter necessidade de visto para a entrada no país, todos os viajantes que vão para Israel devem passar pelo processo de imigração. Esse procedimento se inicia dentro do avião, com o preenchimento de um formulário, o 17L, que deve ser apresentado ao agente de imigração. Este formulário deve ser exibido na saída do país, então o mantenha em local seguro.

Caso o turista tenha visitado países como a Síria e Irã, passarão por um processo um pouco mais rigoroso na imigração.

 

Como circular

Israel tem uma dimensão territorial pequena se comparada a outros países, são apenas 22.072 km², um pouco maior que o estado do Sergipe, no Brasil. Por este motivo, é fácil percorrer o local por completo, mesmo que uma cidade fique na região sul e outra norte.

Uma opção é alugar um carro para conhecer os destinos, afinal, desta forma é mais fácil de ter autonomia no momento de cumprir o roteiro. As estradas de Israel são bastante sinalizadas e tranquilas de dirigir, facilitando a utilização de carro. Além disso, o aplicativo de trânsito Waze é israelense, diminuindo os problemas e falhas pelo país. 

Além disso, o transporte entre as cidades pode ser realizado de ônibus ou trem que percorrem quase todas as regiões. Uma opção é também contratrar serviços de transfer para facilitar a sua locomoção.

 

Culinária

Em Israel existem diversas opções na hora de escolher uma refeição. É possível encontrar em muitos lugares alguns restaurantes árabes e também judeus com a tradicional culinária kosher. 

No país existem diversos pratos de gastronomia local, mas também algumas receitas trazidas por imigrantes de todo o mundo. A cozinha israelense se desenvolveu apenas na década de 70, e ainda está desenvolvendo um estilo próprio, é bastante influenciada pela culinária judaica, marroquina, iraquiana, etíopes, indiana, iraniana e iemenita. 

A principal característica é o tipo de carne, pois nem todos são permitidos. O consumo de frango, pato e carneiro é liberado. A carne de vaca é autorizada, mas o preparo deve ser sem sangue. A carne de porco é proibida. 

É permitido o consumo de carne dos animais que ruminam os alimentos e têm fenda nas patas. Os peixes só são permitidos se com escamas. Moluscos e crustáceos são proibidos. 

Além disso, a combinação de alguns alimentos não é permitida. Como a carne com o leite, por exemplo, filé à parmegiana. Também é proibido quando a carne está na refeição e o leite na sobremesa.

 

Religião

Em 2017, foi estimado que a maior parte da população israelense é de judeus, sendo o único país com maior parte da população que segue a religião, são em média 82,7%. 

Diante disso, apenas 10,1% dos habitantes segue o islamismo. 3,7% se consideram sem religião, 2,1% são cristãos e 1,4% de outras religiões.

A cidade de Jerusalém é um local sagrado para três religiões: judeus, muçulmanos e cristãos. Isso porque reserva lugares indispensáveis para essas crenças religiosas, como o Muro das Lamentações, o Monte do Templo, a Mesquita de Al-Aqsa e a Igreja do Santo Sepulcro.

 

Clima

As temperaturas são bastante instáveis, principalmente durante o inverno. As regiões montanhosas de Israel são frias e muitas vezes neva, como o pico do monte Hérmon que fica coberto de neve na maior parte do ano. Jerusalém tem apenas uma queda de neve por ano. 

As cidades da costa, como Tel Aviv e Haifa, têm clima típico do mediterrâneo, frio e chuva durante o inverno e quente e seco no verão. 

Os meses de maio a setembro ocorre pouquíssima chuva em Israel, resultando em escassos recursos hídricos, por isso, o país tem desenvolvido tecnologias para a economia de água.

Não é recomendado conhecer Israel no verão, entre junho e setembro, pois as temperaturas chegam até 40ºC, dificultando saídas durante o dia. Se for nessa época, foque apenas em praias, como Tel Aviv, Haifa e Eilat. As temperaturas são mais agradáveis no restante do ano.

 

Curiosidades sobre Israel

As línguas oficiais de Israel são o hebraico e o árabe, o inglês não é oficial, mas é bastante comum entre a população. As placas de sinalização, os cardápios, panfletos e lugares turísticos são com escritas nos três idiomas. 

A moeda oficial é o Novo Shekel Israelense (NIS), também chamado apenas de Shekel, os centavos do câmbio são chamados de agorás. Existem notas de quatro valores, 20, 50, 100 e 200, as moedas são de 5, 10, 25 e 50 agorás. O valor do real compara ao NIS é de 1 real para 0,83 agorás. 

As gorjetas em Israel são de 10% do valor total do consumo, como no Brasil. Apesar disso, o valor é considerado baixo entre a população, sendo mais comum pagar 15% conforme o valor do consumo.

Em Israel, a questão de segurança é bastante tranquila, apesar do país viver em constante zona de risco, as taxas frequentes de assaltos, furtos ou outros delitos são baixos. O risco de atentados é possível, mas as chances de um acontecer próximo à zona turística é bem pequena. É bastante comum ver circulação de policiamentos e há detectores de metal por toda parte.

 

Esperamos que esse conteúdo tenha ajudado você a conhecer um pouco mais sobre Israel. Na hora de planejar a sua viagem, conte com a consultoria da Klas.

 

Pacotes Relacionados

0 Comentários

Deixe seu comentário

Galeria Fotos

    Ligamos pra você

    Nós ligamos pra você

    Enviar