Blog

Destinos Internacionais

Por Diego Klas | 30/11/2015 às 00:00:00

Canadá: O país da diversidade e da qualidade de vida

img
Diego Klas conta o que achou do Canadá e dá dicas para as pessoas que querem viajar para lá

Recentemente o governo do Canadá anunciou que a partir de março do ano que vem, brasileiros que já passaram pelo país nos últimos 10 anos ou tiveram um visto norte-americano válido nesse período poderão apenas fazer online uma pré-autorização antes de viajar. Com isso, o viajante deixará de desembolsar cerca de 100 dólares canadenses para tirar o visto, além de mais 30 dólares canadenses de taxa. Eu tinha acabado de voltar do Canadá quando este anúncio foi feito e vou aproveitar esta oportunidade para contar para vocês sobre a minha viagem de seis dias por este país maravilhoso.

 

Foi minha primeira vez em terras canadenses. Fui em um grupo de 12 pessoas entre consultores de viagem e representantes da operadora turística Air Canada. Apesar do pouco tempo, conseguimos conhecer muita coisa. A viagem contemplou visitas a Niagara Falls, Niagara on the Lake, Toronto, Ottawa, Montebello, Montreal, Quebec e Montmorency Falls. É difícil falar qual desses lugares me encantou mais, pois cada um tem seu charme. Mas, definitivamente, Toronto (com uma visita a Nigara Falls), Montreal e Quebec não podem faltar no roteiro de quem for ao Canadá.

 

Como os destinos do Canadá oferecem uma diversidade imensa de atrativos, é possível agradar a “gregos e troianos”. Para os cosmopolitas, Toronto é um prato cheio. É uma cidade grande, estilo Estados Unidos, mas tem Niagara Falls ao lado para o contato com a natureza. É a maior cidade do Canadá e a 4ª maior da América do Norte com uma população (região metropolitana) que chega a mais de 6 milhões de habitantes. Mesmo com essas proporções, Toronto tem uma taxa de criminalidade baixíssima. Foi escolhida pelo The Economist em 2015 a melhor cidade para se viver no mundo.

 

Montreal é uma cidade viva que agrada a qualquer pessoa, com bares, restaurantes, museus e belíssimas igrejas. A cidade chama a atenção de quem busca cultura e entretenimento, pois sedia inúmeros eventos culturais e esportivos, como o Festival de Jazz e o GP de Formula 1. Já para casais, Quebec é, sem dúvida, a cidade mais charmosa da região. Conserva o clima de cidade pequena e faz você se sentir na Europa. É bem menor que Toronto, a população da região metropolitana não chega a 700 mil habitantes. Tudo remete ao velho continente: a língua falada na cidade (francês), as ruelas com seus bistrôs, lojas e cafés com todo charme europeu e o imenso Château Frontenac (um castelo que hoje é um hotel no alto da cidade).

 

Duas coisas me chamaram a atenção no Canadá. A receptividade das pessoas e a segurança. As pessoas são muito atenciosas e estão sempre dispostas a ajudar. A sensação de tranquilidade e que se pode fazer o que quiser, onde quiser e na hora que quiser, sem se preocupar, é realmente fantástica. Em Toronto, quando eu estava andando por uma rua próxima a CN Tower, passei por uma ponte em que vi um morador de rua lendo um livro tranquilamente. Ele estava sentado em um colchão ao lado de um pequeno armário com seus pertences e uma estante de plástico com inúmeros livros, tudo muito organizado. Muitas pessoas me perguntaram se existem moradores de rua no Canadá e a resposta é sim. Porém, não é nada se comparado ao Brasil, não só pelo número infinitamente menor, mas também pela inexistência de favelas como temos por aqui.

 

Em outra oportunidade, ainda em Toronto, na primeira noite, assim que chegamos ao hotel, eu quis dar uma volta pela cidade para conhecer. Como já era tarde, perguntei na recepção se era seguro andar sozinho pela região nesse horário e o atendente, como se não tivesse entendido a pergunta, me respondeu: “como assim?”. Repeti a pergunta questionando se poderia ser assaltado ou algo do gênero e ele me disse com um sorriso no rosto: “meu amigo, você ou qualquer outra pessoa pode sair a pé sozinho por qualquer parte de Toronto que nada vai lhe acontecer mesmo na madrugada”. É ou não é demais? Realmente a sensação de segurança no Canadá faz com que você se preocupe apenas em fazer turismo e se divertir. O que é melhor do que isso?

 

Foi uma viagem fantástica. Para você que está querendo conhecer o Canadá, separei algumas dicas que podem ajudar a planejar melhor a sua viagem. Ah, se quiser mais informações, é só ligar na Klas e marcar um horário comigo. Terei o maior prazer em atendê-lo.

 

Verão ou inverno 

É bom lembrar que o Canadá tem um inverno rigoroso, com muita neve e temperaturas que chegam a 40 graus negativos. A melhor época depende do seu objetivo de viagem. No inverno é possível praticar esqui ou snowboard. O Canadá tem uma excelente estrutura para esportes de neve. Outra atração imperdível do inverno é ir até Niagara Falls e Montmorency Falls, pois as quedas de água congelam, deixando o visual único.  Já no verão você pode conhecer qualquer cidade sem maiores restrições, é a época de maior movimento e turismo por lá. No outono é possível admirar a mudança de cores das folhas e flores, enquanto na primavera com temperaturas amenas pode-se conhecer o festival de tulipas de Ottawa (acontece em maio).

 

Elaborar um roteiro é fundamental

Como são muitas atrações, um roteiro pode poupar tempo durante a viagem para que você aproveite ao máximo os dias por lá. Além do roteiro, a logística dentro do país deve ter uma atenção especial. Para as cidades próximas (Toronto, Ottawa, Montreal e Quebec) o trem é um excelente meio de transporte, sendo pontual, fácil de usar e as estações não ficam longe da cidade. Com isso, você pode fugir daquele stress de aeroporto e ir curtindo as paisagens da região.

 

Planejamento

O ideal é marcar a viagem com uns quatro ou cinco meses de antecedência. Isso porque pode-se encontrar melhores tarifas para as passagens aéreas e hotéis, além de poder parcelar a viagem para chegar no Canadá com tudo pago. Com a necessidade de visto canadense para a viagem é importante ter pelo menos um mês para fazer tudo com calma e evitar transtornos.

 

Visto 

A partir do ano que vem, quem já viajou para o Canadá nos últimos dez anos terá a entrada facilitada no país, mas se for a sua primeira vez, você precisa solicitar o visto. Não deixe para a última hora. Como em alguns casos o consulado retorna a solicitação com dúvidas a serem respondidas, o processo pode demorar um pouco mais do que o normal. O indicado é solicitar o visto com pelo menos um mês de antecedência da viagem.

 

Gorjeta

É padrão deixar uma gorjeta em restaurantes, cafés, bares, taxis e outros estabelecimentos no Canadá. Apesar de não haver uma lei específica sobre o assunto, a boa etiqueta recomenda que deve-se deixar de 15% a 20%, dependendo da qualidade do atendimento.

 

Câmbio 

Uma das grandes vantagens do Canadá é a moeda. Enquanto o dólar americano (comercial) está valendo hoje R$ 3,71, o dólar canadense está cotado a R$ 2,80. Portanto, agora é a hora de viajar para o Canadá. Com o dólar em média 25% mais barato que o americano, fica mais fácil (entenda-se mais barato) aproveitar o destino. Outra dica é sair com passagens, hotéis, locações de carro, seguro, tudo pago do Brasil. Com isso, você “congela” o câmbio no dia do fechamento da compra e evita surpresas cambiais. Além disso, não corre o risco de ter que ficar em um hotel mais caro por falta de disponibilidade de quartos no hotel que escolheu durante a viagem. O mesmo acontece com locação de veículos e passagens internas, pois quanto mais próximo da data da viagem a tendência é que estes serviços sofram uma alta nos preços.

0 Comentários

Deixe seu comentário

Galeria Fotos